#PAUSANAPAF - EDNA


 
Imagem4.jpg
“Eu me chamo Edna.
Em 2012 eu era casada, jovem, trabalhava. Tinha uma vida normal, né?
Mas aí eu comecei a sentir uma queimação nos pés ...
Eu já conhecia a PAF. E muito bem.
Minha mãe nos deixou por causa dela, aos 42 anos.
Eu, hoje, tenho 43. 
Dos 7 irmãos dela, só um escapou da doença.
No meu lugar, você faria o teste?
 
Eu tinha medo. Ninguém quer descobrir que tem PAF.
O meu filho foge do exame até hoje.
Mas eu fiz. E os médicos até demoraram um pouco para dar a notícia.
Chamaram um psicólogo.
E, aí, o mundo desabou na minha cabeça. 
 
Só que, no meio desse turbilhão, eu também recebi um presente.
Um presente que se chama Valentina.
A minha pequena tem quase 3 anos.
Ela é filha da minha irmã, que vive no interior.
Mas a Valentina está comigo desde que nasceu.
E me chama de mamãe todos os dias. 
 
Uma criança muda tudo, né? É sempre prioridade.
Faz a gente esquecer um pouco da própria dor.
Eu quero cuidar dela, só isso.
Esse é o meu grande sonho.
Ver a minha menina crescer. 
Porque quando você Pausa a PAF, a vida continua”
 
EDNA C. DE LIRA, PACIENTE, EM DEPOIMENTO PARA A CAMPANHA PAUSA NA PAF.

 
« Voltar